ADUBAÇÃO VERDE EM ARROZ

AGRORGANICA.COM.BR- O SITE TÉCNICO DA AGROECOLOGIA

Experimentos foram realizados em Pindorama e Votuporanga nas Estações Experimentais do IAC com o objetivo de avaliar a eficiência das leguminosas Crotalária júncea e Mucuna-preta, usadas como adubos verdes para: suprir de N a cultura do arroz, estudar a interação com outra fonte de N (uréia); estudar o fracionamento diante da nova forma de cultivo com adubo verde.

Inicialmente se cultivaram as leguminosas nos tratamentos experimentais correspondentes e simultaneamente foram produzidas leguminosas marcadas com 15N em área adjacente ao experimento. As leguminosas foram cortadas logo após o florescimento e sua massa vegetal foi incorporada superficialmente antes do plantio do arroz. O fertilizante nitrogenado foi aplicado fracionadamente (15+25 ou 30+50 kgN ha-1). Tanto uréia-15N como leguminosas-15N, foram aplicadas em sub-parcelas dentro de cada parcela principal.

Pode-se observar que as leguminosas são excelentes fontes de N, sendo equivalente a 40 kg N ha-1 como uréia para produção de grãos de arroz. A produtividade obtida com a combinação mucuna preta e 40 kg N ha-1 superou o produzido com 80 kg N ha-1 . Ambas proporcionaram praticamente a mesma quantidade de N para o arroz sendo 26 e 25% do N do grão proveniente da Mucuna-preta e Crotalária Júncea, respectivamente em Pindorama e 38 a 37% em Votuporanga. Estas leguminosas podem suprir grandes quantidades de N ( 149 kg N ha-1 , Crotalária e 362 kg N ha-1 , mucuna-preta).

Os adubos verdes proporcionaram melhor uso do N do fertilizante nas aplicações de cobertura, permitindo uma eficiência de até 79%.
Veja mais detalhes das produtividades de arroz no quadro 7 e figura 5.
Recentes trabalhos de pesquisas tem demostrado o ganho em produtividade com a rotação de cultivos utilizando-se de leguminosas e os quadros abaixo adaptados de Mascarenhas et al. (1998) e Tamiso et al. (2001) pode resumir esse efeito em culturas de cereais e hortaliças respectivamente.

Mascarenhas et.al, (1998) trabalharam em Pindorama, SP em um solo Podzólico vermelho amarelo, fase arenosa e avaliaram o efeito da rotação entre milho, soja e arroz, com e sem crotalária júncea de outono-inverno. A soja (leguminosa) não respondeu com aumentos de produtividade porém o arroz e milho (gramineas) tiveram suas produções acrescidas quando comparadas com o monocultivo dessas culturas.
Tamiso et al. (2001) trabalharam em Piracicaba, SP em uma associação de solo Latossolo vermelho escuro + Podzólico vermelho escuro Latossólico e avaliaram o efeito da adubação verde com tremoço, crotalária júncea e chicharo nas culturas de pimentão cenoura e alface.

Edmilson José Ambrosano(1) Nivaldo Guirado; Raffaella Rossetto; Heitor Cantarella; Gláucia Maria Bovi Ambrosano;Eliana Aparecida Schammass; Paulo César Doimo Mendes; Fabricio Rossi;Paulo Cesar Ocheuse Trivelin; Takashi Muraoka; Fernanda Martinelli, Andrea Cristina Lanzoni; Rogério Haruo Sakai; Priscila Helena da Silva; Fernando Augusto Tassani Bréfere; Ana Paula. Godoy e Aadriano Belizário.
Projetos financiados pela FAPESP - (1998/16446-6) , CNPq - (520809/01-7) e FINEP - FNDCT/CT-INFRA.
Apoio: Sementes PIRAI; ECOSOLO BIOLAND; ITAFORTE e NIM do BRASIL.