WWW.AGRORGANICA.COM.BR

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

OUTRAS CLIQUE: 1- 2 - 3 - 4 - 5 - 6 -7 - 8

Agricultura orgânica para diminuir desemprego

Gerar renda em municípios pobres do país através de projetos de caráter educativo atendendo demandas específicas da localidade, promover o desenvolvimento local sustentável, a coesão social e impedir a destruição da natureza foram alguns dos itens necessários para os projetos correntes ao VIII Prêmio Banco Real/Universidade Solidária. Para cumprir essas metas, um dos 10 projetos vencedores, o Semeando a Qualidade de Vida no Campo: Agricultura Orgânica, Cooperativismo e Geração de Renda, propõe a agricultura orgânica e cooperativismo. Coordenado pelo engenheiro Bernardo Melgaço da Silva, da Universidade Regional do Cariri (Urca), no Ceará, o projeto propõe capacitar 20 famílias de baixa renda da comunidade de Belmonte, próximo ao município de Crato (Ceará), para a agricultura orgânica e, selecionar cinco famílias, para montar uma cooperativa de horticultura orgânica irrigada com fins produtivos, em um hectare de terra cedido por uma família da região. A proposta visa melhorar a qualidade de vida no campo, não apenas com geração de emprego e renda, mas também com a melhoria na qualidade da dieta alimentar da comunidade, a partir de uma atividade sustentável, sob os aspectos econômicos, sociais e ambientais.

Para Melgaço, a geração de renda deve estar associada ao desenvolvimento sustentável e ético. "Produzir produtos sem agrotóxicos e outros elementos químicos, danosos ao homem e ao meio ambiente, é de vital importância tanto para os produtores, quanto para os consumidores.", diz ele.Segundo o coordenador do projeto, os trabalhadores se sentirão motivados a trabalhar por esse aspecto e porque toda a venda da produção terá um retorno para eles próprios. A escolha de apenas cinco famílias dentre as 20 treinadas deve-se ao tamanho do terreno cedido, que segundo cálculos do engenheiro agrônomo, Nivaldo Soares de Almeida permite que cada uma das cinco famílias possa sustentar-se.A economia da região onde o projeto será desenvolvido baseava-se na produção agropecuária, com ênfase nos engenhos de rapadura, nas casas de farinha e principalmente na produção de frutas e verduras.

A descaracterização rural em função do avanço urbano e a falência do modelo agrícola implantado pela revolução verde são apontados por Melgaço como fatores que demonstram a necessidade de mudança do modelo agrícola da região. Segundo ele, o modelo atual tem provocado esterilização do solo; contaminação dos recursos hídricos e dos alimentos; perda de biodiversidade; redução da produtividade; empobrecimento do homem do campo e, principalmente danos graves à saúde humana. "Na microrregião do Cariri cearense e no município de Crato, estudos científicos constatam a queda de vazão nas fontes d'água que banham a região, reduções substanciais nos índices de produtividade, crescimento das populações de insetos, pragas e microorganismos fitopatogênicos.Os censos demográficos atestam o êxodo rural, prova inequívoca de que a agricultura familiar, aqui praticada, tornou-se insustentável. Além disso, o levantamento de dados indica que mais de 80% das frutas e hortaliças comercializadas no Cariri são importadas de outras regiões", diz o coordenador. A existência de uma demanda de consumo efetivo de produtos orgânicos na região também foi outro fator que motivou o projeto.

A Associação Caririense de Agropecuária Orgânica (ACAO) do município de Crato, ONG criada há cerca de dois anos, com o objetivo de congregar produtores e consumidores de alimentos orgânicos, não consegue atender à demanda instalada. De acordo com Melgaço, a região segue a tendência global de valorização dos produtos saudáveis. "Segundo o Departamento Federal de Agricultura dos Estados Unidos da América, o mercado mundial de produtos orgânicos movimenta anualmente mais de US$ 23,5 bilhões e está em alta", argumenta ele. Perseguindo essas propostas, os treinamentos no projeto envolverão temas como cooperativismo, agricultura orgânica, meio ambiente, comercialização, higiene, saúde e alimentação.

Para sua execução estão envolvidos diversos especialistas de áreas como agronomia, nutrição e economia, a Associação de Moradores do Sítio de Belmonte, a Associação Caririense de Agropecuária Orgânica, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Crato e 10 agentes de promoção social,que serão recrutados entre os estudantes da Urca das diversas áreas de conhecimento, e treinados para o projeto. Apesar de estar em discussão há alguns anos, apenas agora com o prêmio Banco Real/Unisol, entregue no dia 12 de agosto, o projeto poderá ser executado. A expectativa do grupo é de que ele seja implementado como um projeto piloto e sirva como modelo para novos projetos em outras localidades e com outros atores sociais. "Esperamos com isso sensibilizar os organismos financeiros e grupos de políticos, mostrando que é possível combinar qualidade de vida e ação solidária", diz Melgaço. Fonte: ComCiência - 18/08/03

 

AGRORGANICA - O PORTAL DA AGROECOLOGIA BRASILEIRA